Estratégias de investimento: Quando o preço "Não" importa

por Miguel Abboud
25/11/2021

Será que o preço realmente não importa?

Se você é uma pessoa ligada aos principais meios de comunicação relacionados ao mercado financeiro e gosta de acompanhar as estratégias e movimentos dos maiores e melhores investidores da atualidade você já deve saber que um dos assuntos que mais discutimos é a real importância do preço de compra de uma ação e neste artigo vamos te apresentar as estratégias e teses que defendem a "não existência" de um preço na hora da compra de um ativo

 

[Tese] Jack Bogle e as regras do Investimento Passivo:


 

Jack Bogle talvez seja o homem que mais contribuiu até hoje para os diversos participantes do mercado financeiro, sendo ele o criador do primeiro fundo de índice dos Estados Unidos, suas contribuições vão além de seus produtos, ensinando a população a investir, Bogle criou um método chamado "Passive Investing" ou Investimento Passivo que é um método tão assertivo que qualquer um que o aplicasse com disciplina poderia ter um excelente resultado em seus investimentos em bolsa de valores.

 

O Passive Investing consiste em eliminar os principais erros que comprometem a rentabilidade dos investidores:

 

●        Não saber o que comprar

●        Não saber como acompanhar

●        Não saber quando comprar

 

Bogle diz que para garantir um bom resultado você deve vencer esses problemas da forma mais inteligente possível:

 

Se você não sabe o que comprar:


Não compre ativos separadamente, pois você não conhece nem tem tempo de conhecer esses ativos, então diversifique o máximo possível, invista de forma genérica, de preferência nos maiores (e possivelmente mais sólidos) ativos disponíveis no mercado, pois isso possivelmente vai te garantir um bom resultado futuro.

 

Se você não sabe acompanhar:


Então delegue sua decisão para quem saiba e quem vai trocar seus ativos quando estes não fizerem mais sentido em sua carteira, mas cuidado com os parâmetros de gestão e custos.

 

Se você não sabe quando comprar:


Então compre a todo momento, apenas não pare de comprar, com o passar do tempo a tendência é que as empresas continuem constantemente melhorando e aumentando seus lucros, por isso é assertivo afirmar que em algum momento do futuro provavelmente o mercado irá superar seu preço de entrada, apenas espere e verá.

 

A solução que Jack Bogle traz é comprar ETFs (Exchange Traded Funds) regularmente a qualquer preço, pois o que mais importa não é o momento, é a procedência que você terá após a compra, foque apenas em comprar regularmente e nunca perder a oportunidade de estar exposto ao mercado, pois como ele mesmo diz: o maior risco é não ter comprado, então não espere por correções de mercado.

 

Podemos dizer que pelas características intrínsecas dos ETFs de índice, nós conseguimos eliminar os 3 problemas descritos no penúltimo parágrafo:

 

●        Não saber o que comprar

 

Os ETFs sempre replicaram genericamente os maiores índices do mercado.

 

●        Não saber como acompanhar

 

Os ETFs atualizam constantemente os maiores ativos da economia.

 

●        Não saber quando comprar

 

Se você comprar a todo momento de maneira constante e o mercado de fato crescer como um todo, você certamente terá lucro.

 

Vale também mencionar que os retornos expressivos dos ETFs também se dão pelos baixos custos nas taxas de administração (geralmente de 0,3% a 0,15% ao ano sobre o patrimônio), pois não necessitam da gestão ativa de um gestor, esses ETFs apenas acompanham índices pré-estabelecidos, sem a necessidade da intervenção repentina de terceiros.

 

Essa estratégia não funcionaria com Fundos de Investimentos em Ações pelo simples fato de que as taxas de administração são muito mais caras (de 2% a 3% ao ano de taxa de administração sobre o patrimônio do fundo) + (de 15% a 25% de taxa de performance sobre os resultados anuais), sem contar que geralmente estes possuem bem mais risco.

 

Estratégias de investimento: Quando o preço "Não" importa

 

Então podemos perceber que diferente da ótica de que o preço importa na hora da compra, temos uma mudança de procedimento em relação a gestão da carteira, enquanto uma estratégia está mais direcionada a pesquisa e contração de risco a outra é mais focada no prazo de investimentos e eliminação de riscos, uma estratégia onde o preço importa está mais focada na habilidade do investidor em reconhecer o ativo e hora correta de compra e a outra estratégia onde o preço não importa está mais direcionada em eliminar a necessidade de atuação do investidor na carteira, supondo que talvez ele não seja capaz de vencer com precisão a subjetividade do mercado, bom... Falaremos mais sobre isso na conclusão do artigo, mas antes tenho mais uma tese importantíssima para tentar validar a linha de raciocínio de que o preço de fato não importa.

 

[Tese] Eugene Fama e a Hipótese dos Mercados Eficientes:
 

A hipótese do mercado eficiente é uma espécie de teoria do investimento, derivada principalmente do conceito de pesquisa de Eugene Fama, conforme detalhado em seu livro "Mercado de capitais eficiente: uma revisão de pesquisas teóricas e empíricas" publicado em 1970. O ponto básico levantado pela Fama é que é quase impossível "superar o mercado" para obter continuamente retornos de investimento que excedam a média geral do mercado, conforme refletido nos principais índices de ações, como o índice S&P 500.

 

De acordo com a teoria da Eugene, um investidor pode ter a sorte de comprar uma ação que lhe traga enormes lucros no curto prazo, mas no longo prazo, ele não pode esperar obter um retorno do investimento muito superior à média do mercado.

 

Compreenda a hipótese de mercado eficiente


 

O significado da teoria do investimento de celebridades para os investidores é basicamente o mesmo que a teoria do passeio aleatório.

 

A teoria do passeio aleatório é baseada em uma série de suposições sobre o mercado de títulos e como ele funciona. A premissa inclui a única ideia-chave para a validade da hipótese do mercado eficiente: a crença de que todas as informações relacionadas aos preços das ações são gratuitas e amplamente disponíveis, e são "comumente compartilhadas" por todos os investidores.

 

Suponha que uma pesquisa pública seja conduzida em uma sala onde as pessoas serão selecionadas aleatoriamente para tentar adivinhar a quantidade exata de jujubas dentro de um pote de jujubas. Eugene Fama descobriu que se 200 pessoas tentarem adivinhar a quantidade de jujubas, o número médio das suposições será muito próximo ao número real de jujubas dentro do pote.

 

Criando um paralelo entre a teoria da aleatoriedade e o exemplo do pote de jujubas de Eugene Fama, uma vez que as mesmas informações foram disponibilizadas a todas as pessoas que iriam adivinhar o número de jujubas do pote, se as informações dadas ao público fossem diferentes o valor com certeza seria ajustado.

 

Como sempre há muitos compradores e vendedores no mercado, as mudanças de preço sempre ocorrem de forma eficaz (ou seja, de maneira oportuna e atualizada). Portanto, as ações são sempre negociadas pelo seu valor justo de mercado atual.

 

A principal conclusão da teoria é que, uma vez que as ações são sempre negociadas pelo seu valor justo de mercado, é quase impossível comprar ações subvalorizadas a um preço barato ou vender ações sobrevalorizadas com lucros adicionais.

 

Quer seja uma análise profissional de ações ou uma estratégia de timing de mercado cuidadosamente implementada, não se pode esperar que o desempenho médio seja melhor do que o desempenho geral do mercado.

 

Se isso for verdade, então a única maneira de os investidores obterem retornos mais elevados é correr riscos maiores.

 

Na prática, quem ganha de fato?


Agora que você já tem uma boa noção das principais teses referentes as filosofias estratégicas de investimentos que defendem a importância ou não do preço como referência no momento compra de uma ação, iremos por essas duas teses na prática e mensurar seu desempenho ao passar do tempo.

 

[Prova prática] Dollar Cost Average x Buy the Dip.
 

Neste trecho iremos apresentar a aplicação de duas estratégias básicas de investimentos que divergem opiniões justamente por considerarem ou não o preço como referência de compra, lembrando que iremos utilizar parâmetros arbitrários unificados e imparciais na aplicação das duas estratégias para medirmos seu desempenho com o passar dos anos:

 

As duas estratégias seguiram a filosofia de investimentos Buy and Hold, que tem como raiz o conceito de comprar sem a intenção de vender, com o objetivo de se tornar sócio de longo prazo das companhias selecionadas em portfólio, esta é uma estratégia muito popular atualmente pois ajuda o investidor a cometer menos erros na gestão de seus ativos, evitando que os venda em momentos inoportunos assim como também diminuí a ansiedade em relação as oscilações de curto prazo.

 

A estratégia que mais se enquadra na filosofia de investimentos que defende a "não importância" do preço no momento da compra se chama Dollar Cost Average, a estratégia em questão consiste a aplicação constante e padronizada de aportes em períodos específicos, no caso do exemplo que iremos apresentar no artigo a estratégia será aplicada ao índice S&P 500 que rastreia as 500 maiores empresas listadas nos Estados Unidos.

 

A estratégia que selecionaremos para defender a filosofia de investimentos que defende a "importância" será o Buy The Dip, que se resume no conceito de comprar determinado ativo no suposto valor mais baixo possível em relação a determinado período, esta estratégia foi selecionada para padronizar os métodos de aplicação que são utilizados pelos adeptos a importância dos preços no momento de compra, afinal os métodos utilizados pelos adeptos dessa filosofia são muito mais subjetivos e variáveis, pois depende das métricas, descontos e expectativas individuais de cada investidor, logo, iremos considerar nesse exemplo a "melhor hipótese possível" de aplicação dessa estratégia o "Buy The Dip" absoluto, este caso a aplicação das compras apenas ocorrerá no menor ponto possível de baixa no preço do ativo, sendo assim, consideraremos o resultado do investidor "mais sortudo" do mundo que sempre irá acertar o menor preço possível de compra do ativo antes da inversão da tendência de baixa, mas antes devo alertar aos leitores que essa aplicação se trata de um caso absoluto e probabilisticamente quase impossível de ser realizada na prática, pois não possuímos dados que nos deem informações o suficiente para "prever" qual será o rela ponto mais baixo de negociação de certo ativo antes da retomada de seus preços.

 

Agora vamos para o exemplo em questão, no caso a seguir iremos considerar o recebimento mensal de USD100 na corretora de investimentos de dois investidores, um deles irá aplicar a estratégia de Dollar Cost Average onde os aportes serão aplicados logo no dia de recebimento no preço de mercado de forma constante e periódica, enquanto o segundo investidor aplicará a estratégia Buy The Dip, onde todos os recebimentos serão guardados pelo investidor para serem aplicados integralmente apenas no momento de maior baixa possível de mercado, sendo assim, podemos considerar que o investidor um (DCA) estará sempre 100% posicionado enquanto o investidor dois (BTD) possuirá quase sempre uma reserva de capital na expectativa de aplicá-la em "momento oportuno", agora considerando o ativo "índice S&P 500" e que o recebimento de dividendos será sempre reinvestido de acordo com as estratégias selecionadas, confira o gráfico do acompanhamento dessas duas estratégias com o passar dos anos:

 

Estratégias de investimento: Quando o preço "Não" importa

 

Podemos perceber que o resultado da estratégia de Dollar Cost Average superou com bastante vantagem a estratégia de Buy The Dip e isso acontece por um simples motivo: Apesar da estratégia de Buy The Dip teoricamente proteger seu capital de entradas muito próximas de topos que podem no curto prazo causar perdas virtuais em suas posições, a não aplicação do seu capital constantemente fez o investidor dois perder boa parte dos longos momentos de tendência de alta que geraram muitos ganhos extras para o investidor um, gerando através da lógica e com embasamento prático a ideia de que estratégias que não consideram o preço como fator importante na hora da compra mais assertivas que estratégias que consideram os preços um fator importante.

 

Entretanto, resta um último questionamento a ser respondido: Se estratégias que não consideram o preço um fator importante na hora da compra são mais assertivas que estratégias que o consideram, então por que os maiores e melhores investidores como o Warren Buffett (Investidor mais rico do mundo "retorno 20,3% a.a."), Peter Lynch (Investidor com melhor histórico de retornos "retorno 29,2% a.a.") e Benjamin Graham (Criador do principal método de investimento utilizado pelos maiores e melhores "retorno 17,6% a.a.") utilizam métodos de investimentos focados na importância dos preços na hora da compra e possuem os melhores resultados do mercado?

 

Não podemos negar que apesar do investidor e suas capacidades, se aplicarmos estratégias que consideram o preço, necessariamente estaremos nos expondo a maiores riscos e é disso que se trata investir, por mais que desejemos aplicar da melhor forma possível nunca sairemos da lei da relação entre risco e retorno que é universal em qualquer modelo econômico capitalista, logo, podemos considerar que investidores que se expõem a mais riscos como em estratégias de consideração de preços e outros métodos diversos de análise e gestão sempre terão os melhores resultados, mas com um risco muito superior com uma grande possibilidade de perder muito patrimônio e tempo no processo.

 

Quer saber como isto afeta os seus investimentos? Converse agora com um assessor de investimentos da Allure Capital e descubra!

 

 

OUTRAS NOTÍCIAS

Allure Capital Investimentos - XP